29/11/16

Bolachas de aveia e chocolate e um novo livro


Há anos que sigo o blog da Teresa, desde que comecei a interessar-me pelas lides da cozinha e pela blogosfera que há blogs que visito sempre, nem sempre com a regularidade de que gostava, mas sempre que posso vou ver as novidades. Quando vi que a Teresa ia lançar um livro, achei o máximo e que só podia ser bom e com excelentes opções e não me enganei!

O livro está recheado de receitas simples mas encantadoras e que com toda a certeza que fazem com que quem as prova diga que "Estava tudo ótimo!".  A primeira receita que me conquistou de imediato foi a destas bolachas. Já aqui disse que procuro sempre diversificar nos lanches do pequeno e que sempre que posso prefiro o que é feito por mim. Estas bolachas, são perfeitas para os lanches, crocantes e com o toque de chocolate que todos adoramos.

Bolachas de aveia e chocolate
(Adaptado de "Estava tudo óptimo!" de Teresa Rebelo)

Ingredientes (para cerca de 38 a 40 bolachas):

Massa:
170 gr de açúcar amarelo
100 gr de manteiga sem sal à temperatura ambiente
120 gr de farinha sem fermento
80 gr de flocos de aveia triturados grosseiramente
1 ovo
1,5 colher de chá de fermento em pó
1 pitada de flor de sal
1/2 colher de extrato de baunilha
100 gr de chocolate negro cortado em pedaços pequenos (ou pepitas de chocolate)*

Cobertura:
200 gr de chocolate negro para culinária (com 52% de cacau no mínimo)


Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180 ºC na função ventilação. Forrar dois tabuleiros de ir ao forno com papel vegetal. Reservar.
Com a batedeira, bater a manteiga com o açúcar até estarem bem ligados. Adicionar o ovo e a baunilha e voltar a bater, em velocidade baixa.
Juntar a farinha aos poucos, batendo entre cada adição. 
Por fim, adicionar os pedaços de chocolate, envolvendo bem na massa.
Fazer bolinhas de massa, de tamanho de brigadeiros e distribuir pelos tabuleiros, estas devem ficar bem separadas entre si para não colarem quando crescerem (coloquei 4 ou 5 em cada fila). A massa fica um pouco húmida, o que faz com que se cole um pouco às mãos, se se humedecer ligeiramente as mãos é mais fácil moldar as bolinhas 
Achatar ligeiramente as bolinhas com indicador para lhes dar o formato de bolachas.
Levar ao forno durante 20/25 minutos ou até começarem a ficar douradinhas nos rebordos. É normal que quando são retiradas do forno ainda estejam um pouco moles no centro, mas depois de arrefecerem vão ficar bastante crocantes.
Colocar as bolachas sobre uma rede e deixar arrefecer completamente. 
Derreter o chocolate em banho maria (ou no micro-ondas), colocá-lo numa taça ou copo alto em que seja possível introduzir as bolachas. Molhar as bolachas no chocolate até meio , colocá-las sobre papel vegetal até que o chocolate seque completamente.
Guardar as bolachas numa caixa hermeticamente fechada. Duram cerca de duas semanas (cá em casa não, porque rapidamente são devoradas).

Espero que gostem!♥
Por cá fazem sucesso e passaram a ser presença assídua na lancheira do mais pequeno, muito mais saudáveis e saborosas que quaisquer bolachinhas de pacote :)

Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

11/10/16

Biscoitos de aveia e maçã... e o começo de uma vida nova


Após um longo período de ausência do blog, regresso com uma receita que faz parte do novo quotidiano cá de casa. Este ano, o mais pequeno da casa entrou no primeiro ciclo, começou a sua vida de estudante a sério. Quem já passou por isto, sabe que é uma grande mudança na vida da criança e dos pais. Mudou de escola, de amigos, de professora e de rotinas. No inicio todos andávamos assim um bocadinho ansiosos e em adaptação, ainda continuamos, mas agora, de forma mais descontraída. É uma aprendizagem, é um desafio novo para ele e para nós. É deslumbrante vê-lo fazer estas novas conquistas, estas novas descobertas, começar a escrever, a ler, a fazer contas, a aprender a gostar de estudar e aprender coisas novas todos os dias. O crescimento é uma coisa linda e dolorosa ao mesmo tempo, ver que a nossa pequena pessoa se está a tornar num menino crescido, conhecedor de tanta coisa e tão independente é maravilhoso, e compensador, mas depois doí devagar por ver o tempo passar tão rápido.

Lamechices à parte, desde que iniciaram as aulas, que tenho tido a preocupação de compor a lancheira com lanches equilibrados e saudáveis ao mesmo tempo saborosos e apelativos. Fazer um lanche com baixo teor de açúcar e gorduras, é um verdadeiro desafio. O meu filho, em regra geral, não é de comer muito, o que por si só já é um entrave para conseguir fazer um lanche adequado, pois bem sei que se mandasse bolachas de chocolate com leite com chocolate, comia tudo! De forma a conseguir-me organizar-me e não fazer lanches iguais durante a semana, compus uma tabela que me ajuda a fazer o lanche diariamente.

Aqui deixo algumas ideias/dicas para se conseguir obter lanches mais equilibrados e saudáveis:
  • Usar pão de cereais ou integrais (feitos em casa ou comprados em padarias, sem ser daqueles congelados que têm imensos aditivos e ingredientes desnecessários)
  • Incluir no lanche, uma peça de fruta, mesmo que pequena. Ou em alternativa, palitos de cenoura ou alguns tomates cherry.
  • Procurar sumos com baixo teor de açúcar, não é fácil mas consegue-se arranjar (observei no hipermercado e optei por aqueles que apresentam menos de 7/8 gr de açúcar por 100 ml, alguns deles não se vendem em pacotes individuais só em pacotes de 1 litro, o que faço é colocar o sumo numa garrafinha pequena, cerca de 150 ml).
  • Usar chá e infusões caseiras ou não (existem algumas opções no hipermercado de tisanas ou chás sem açúcar, passo a publicidade, a marca Pleno tem boas opções)
  • Sempre que possível, dar preferência a bolo, bolachas ou barras caseiras em que conseguimos controlar a quantidade de açúcar e gordura. Quando não é possível, procurar no supermercado as bolachas ou barrinhas com maior teor de cereais e frutos secos.
  • Variar os lanches. Sempre que possível, mandar coisas diferentes, porque eles cansam-se e depois acabam por não comer.

Biscoitos de aveia e maçã
Adaptado de "Nem acredito que é saudável" de Sara Oliveira

Ingredientes:
100 gr de flocos de aveia finos
90 gr de farinha de aveia
30 gr de óleo de coco derretido
1 ovo
125 gr de maça ralada
60 ml de mel
1 colher (de chá) de aroma de baunilha
1 pitada de flor de sal
1 ½ colher (de chá) de canela em pó
½ colher (de chá) de fermento em pó

Preparação
Pré-aquecer o forno a 170 ºC. Preparar dois tabuleiros com folha de papel vegetal. Reservar.
Numa tigela misturar os flocos de aveia, a farinha de aveia, o sal, a canela e o fermento. Numa outra tigela, misturar bem o ovo, o óleo de coco, a baunilha e o mel. A esta mistura, adicionar a maçã ralada, incorporar bem.
Juntar as duas misturas, mexendo bem para que fique completamente incorporada.
Colocar pequenas porções de massa nos tabuleiros, cerca de uma colher de sopa bem cheia, em forma de círculo, calcar ligeiramente para que as bolachas fiquem achatadas. Alinhar as porções de massa nos tabuleiros deixando algum espaço entre cada porção, não é necessário muito pois a massa não cresce muito.
Levar ao forno cerca de 15 minutos ou até os biscoitos começarem a ficar dourados.
Retirar do forno e deixar arrefecer completamento no tabuleiro. Guardar numa caixa hermeticamente fechada.



Algumas notas:
  • Na receita original usa-se geleia de agave, como não tinha em casa, substitui por mel. O agave tem um alto poder adoçante, por isso reduzi um pouco a quantidade quando usei mel. Se preferirem o agave, a quantidade recomendada é 90 ml. Uso mais mel do que agave, embora o índice glicémico do agave seja mais baixo, portante menos calórico, contudo prefiro o mel, porque só uso mel de produção local, não industrializado. O agave por seu lado, embora de origem natural, sofre o que atualmente se assiste com grande parte dos produtos, uma industrialização severa, levando a que as suas propriedades naturais e biológicas se percam na cadeia. As opiniões quanto às suas propriedades benéficas também se dividem muito. Se a sua origem for de facto biológica, então é uma excelente adoçante e uma alternativa mais saudável do que o açúcar ou outros adoçantes. Fica a dica! 
  • O óleo de coco também pode ser substituído por azeite, em regra geral, funciona bem. O sabor é mais forte, por isso, mais notório ao paladar. 
  • Se tiver uma grelha, é preferível usá-la para arrefecer os biscoitos, arrefecem mais depressa e ficam mais crocantes.
Espero que gostem! 
Por cá fazem sucesso e quando enviadas na lancheira, não sobram para contar história!

Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

06/04/16

Muffins vegan de cenoura, laranja e nozes


Sou pela alimentação cuidada e saudável. Num tempo em que abrimos a internet ou qualquer revista e nos deparamos com inúmeros tipos de dieta e de artigos sobre alimentação, o que é que faz bem e o que é que faz mal, uns dizem umas coisas e outras fundamentam veemente outras! Ás tantas a pessoa pensa, mas o que é que se pode ou não comer afinal!

De tudo o que já li, concluo que o é mais correcto e o que devemos seguir é evitar comer comida processada, comer alimentos frescos e de origem conhecida, comer várias vezes por dia, comer com qualidade em vez de quantidade, evitar as gorduras saturadas e os açúcares simples. Tudo coisas simples, fáceis e conhecidas da maior parte das pessoas. 


Depois há a questão dos alimentos inflamatórios, que até há uns anos atrás não se ouvia falar e que agora estão imensamente difundidos, como o caso de tudo o que contem glúten e lactose. É sobre isto que vos quero falar hoje. Eu nunca gostei de leite, na sua forma natural, sempre foi um sacrifício beber leite desde pequena e assim que comecei a ter vontade própria, deixei mesmo de beber. Só consigo beber em galão e em iogurtes. Há uns meses deixei de beber iogurtes, notei muitas diferenças, essencialmente ao nível do funcionamento intestinal. Continuo a ingerir leite em forma de queijo, porque adoro, não como todos os dias, mas de vez em quando como, não sei se me habituaria a não comer queijinho ao fim-de-semana, mas tenho vindo a diminuir esse hábito. 

Quanto ao glutén, a coisa é mais complicada, é caso para dizer, está por todo o lado. Após aconselhamento médico e da minha treinadora do ginásio, devido aos problemas nas articulações, decidi experimentar não ingerir glutén durante algum tempo. Comecei agora a reduzir os alimentos em que ele está presente, posso dizer que não tem corrido mal, tenho pesquisado e experimentado algumas coisas muito interessantes que resultaram em receitas bastante saborosas e nutricionalmente equilibradas. Mas se consigo viver mesmo sem glutén? Não sei, vou tentar, eu gosto muito de fazer bolos e de comer uma bela fatia, gosto muito de uma boa massa, gosto muito de um belo pãozinho, enfim, vamos ver! Admiro as pessoas que conseguem mesmo mudar o seu estilo de vida por completo e fazem disso o seu dia-a-dia. Chegar a esse patamar não vou chegar seguramente, porque há coisas de que gosto que não quero abdicar, mas consigo deixá-las só para os dias de festa e refeições especiais! 


Voltando ao glúten, existem muito boas alternativas à farinha de trigo para usar nos bolinhos que tanto se gosta de fazer aqui por casa. Este fim-de-semana propus alguns programas ao meu pequeno para fazermos os dois, ele escolheu fazer um bolo! Que máximo! Adoro que ele goste de fazer bolos comigo, ele diz que vai ser "chef". Será?

Ora, com um pedido destes e com a ideia de não utilizar ingredientes com glúten, pus-me a pesquisar e descobri estes muffins vegan. Digo-vos, são surpreendentes, cheios de alternativas ao habitual e ao mesmo tempo cheios de sabor! Estes muffins são super fofinhos e ao mesmo tempo crocantes devido ao topping de nozes. A combinação canela com cenoura e laranja dá-lhe um aroma delicioso. 


Muffins vegan de cenoura, laranja e nozes
(Adaptado do blog Cocoon Cooks)

Ingredientes:

Topping de nozes
1/3 chávena de farinha de trigo serraceno
4 colheres de sopa de açúcar mascavado
1/4 colher de chá sal marinho fino
2 colheres de sopa óleo de côco, refrigerado
1/4 chávena nozes picadas


Massa
2 chávenas farinha de trigo serraceno
1/2 chávena açúcar mascavado
2 colheres de chá fermento em pó
1/2 colher de chá bicarbonato de sódio
1 colher de chá canela
1/2 colher de chá noz-moscada
1/4 colher de chá baunilha em pó
1/2 chávena de nozes picadas (+/- 55 gr)
3 ovos de linhaça espessos (3 c. sopa sementes de linhaça trituradas + 6 c. sopa água)
1/3 chávena de azeite )
250 ml. sumo de laranja natural
raspa de 1 laranja
90 gr. cenoura ralada


Preparação:

Topping de nozes

Numa tigela, combinar a farinha, o açúcar e o sal. Juntar o óleo de côco (uma colher de cada vez) e misturar com as mãos até se dissolver por completo e obter uma textura de areia húmida. Juntar as nozes e misturar. Reservar.

Massa

Cortar quadrados de papel vegetal. Preparar uma forma de muffins forrando com os quadrados de papel vegetal.Pré-aquecer o forno a 180 ºC. 

Preparar os ovos de linhaça combinando a linhaça moída e a água numa pequena tigela e deixar repousar durante um mínimo de 5 minutos, enquanto se prepara os restantes ingredientes.

Numa tigela grande, misturar com uma vara de arames todos os ingredientes secos (excepto as nozes). Noutra tigela, misturar o azeite, o sumo e raspa de laranja e a mistura de linhaça. Verter esta mistura sobre os ingredientes secos e envolver com uma colher de pau até obter uma mistura homogénea. 

Ao preparado, acrescentar as nozes e a cenoura ralada pouco a pouco até ficar homogéneo e completamente envolvido. 

Com a medida 1/4 chávena (ou uma concha de sopa), colocar a massa nas formas e cobrir cada uma com uma porção do topping de nozes. Colocar no forno e deixar cozinhar durante 25 minutos, até os muffins estarem dourados e o palito de teste saia seco e limpo.
Retirar do forno, deixar arrefecer um pouco. Retirar da forma e transferir os muffins para uma grelha, deixar arrefecer completamente.


Experimentem, não se vão arrepender!

Seguir também em: Facebook | Pinterest Instagram Bloglovin



14/03/16

Folar folhado em flor (ou rosas)


Já viram bem que a Páscoa está à porta? Ainda ontem começou o ano de 2016 e já estamos quase na Páscoa e Primavera! Quando se diz que o tempo voa, é mesmo verdade!!

Acho que já o disse por aqui, Páscoa para mim sem folar, não é Páscoa! Em boa verdade, podia comer folar todo o ano, adoro a combinação de canela, erva-doce e açúcar!

No Algarve, o folar da Páscoa é doce, com massa de bater e ovo no meio ou folar folhado de Olhão. Nós cá em casa gostamos de ambos. Quando há folar em casa depressa desaparece, uma fatia aqui, outra ali, mais uma passagem pela cozinha e lá vai mais uma fatia, e de repente, desapareceu! 

Há anos já tínhamos feito folares de Olhão, desde então nunca mais havíamos experimentado, principalmente porque é bastante demorado. O ano passado cruzei-me com este folar da Margarida do Figo Lampo e adorei! Assim que me apercebi que a Páscoa estava mesmo aí, decidi de imediato que seria este o folar da Páscoa 2016 cá em casa! 

Espero que gostem tanto como nós!


Ingredientes (para 1 folar):

Massa
560g de farinha sem fermento
25g de fermento fresco
sumo de 1 laranja
75ml de leite morno
120g de manteiga derretida
1/2 cálice de aguardente
3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de erva-doce em pó
1 colher de chá de canela
1 ovo
1 pitada de sal

Recheio
+/- 150 gr de manteiga derretida
8 colheres de sopa de mel
+/- 100 gr açúcar amarelo
+/- 3 colheres de sopa de canela em pó
(estas quantidades não são exatas, fui acrescentando durante o processo de enrolar a massa)

Preparação:
Colocar a farinha e o sal num alguidar fundo e abrir uma cavidade no centro. Desfazer o fermento no leite morno e coloca-lo na cavidade feita. Juntar o açúcar, a erva-doce, a canela, a manteiga, o ovo, o sumo de laranja e a aguardente. Misturar a farinha com os líquido, retirando-a das laterais para o centro, amassar muito bem até obter uma massa macia. Cobrir com um pano e deixar levedar até dobrar o volume.



Preparar uma forma redonda, com 22 cm, untar com manteiga e forrar com papel vegetal no fundo e laterais.
Preparar a mistura de açúcar e canela. Retirar a massa para uma superfície enfarinhada e dividi-a em 8 porções com o mesmo peso (as minhas pesavam entre 128 gr e 130 gr).
Esticar uma de cada vez com ajuda do rolo (deverá ficar fina) até obter +/- a forma de rectângulos (aproximadamente 8x24cm). Pincelar com a manteiga derretida, polvilhar abundantemente com a mistura de açúcar amarelo e canela e regar com uma colher de sopa de mel. Enrolar a massa de fora para dentro, dobrando as pontas para dentro, depois enrolar todo o seu comprimento a partir de uma das pontas.
Colocar na forma, começando a dispor pelo centro. Repetir o mesmo procedimento dispondo as restantes porções de massa em redor, deixando um pouco de espaço entre elas para que possam crescer ainda no segundo processo de levedação. Tapar a forma com um pano ou manta e deixar novamente a levedar até que dobre de volume.
Dispor umas nozes de manteiga sobre as rosas de massa, polvilhar com um pouco de açúcar amarelo e canela e leve ao forno pré-aquecido a 190º durante aproximadamente 30-40 minutos. Se o topo começar a queimar cobrir a forma com uma folhar de alumínio.
Retirar do forno, deixar arrefecer completamente na forma e desenforma.

Notas:
Para acelerar o processo de levedação pode pré-aquecer o forno a 100 ºC, desligá-lo e colocar a forma dentro do forno tapada com uma folha de alumínio até que a massa duplique de volume. Fiz este processo na segunda levedação.

Na pesquisa sobre este tipo de folar encontrei também este da Vera do Hoje para Jantar que me levou a este vídeo que exemplifica o processo de enrolamento da massa.



08/03/16

Bolo de clementina


Estava difícil de sair este bolo!! Há semanas que fiz e fotografei este bolo! Adorei as fotos desde logo e o bolo, nem vos digo, é muito bom mesmo! 

O meu pequeno adora clementinas, naqueles dias em que fiz o bolo, haviam muitas clementinas aqui em casa, para bolo de fim-de-semana pensei em usá-las, mas quando comecei a pesquisar sobre um bolo de clementina, encontrava sempre a mesma receita na internet, publicada em diferentes blogs, mas olhava e pensava, duas horas a cozer clementinas, isto ficará alguma coisa de jeito? E ficou mesmo!  

Um bolo muito agradável que se desfaz na boca, é um bolo diferente do habitual, muito leve, sem gluten e muito frutado (doce também!).

Desde então, todos os dias pensava nestas fotos e no facto não ter publicado um bolo de que gostei tanto, acho que ainda consegui publicar antes de acabar a época das clementinas, por isso, corram, apressem-se, experimentem este bolo que não se vão arrepender. 


Bolo de clementina
Receita adaptada do Blog Call Me Cupcake.

Ingredientes:

Bolo
5 clementinas (pequenas)
6 ovos
225 gr de açúcar
250 gr de amêndoa moída
1 colher de chá de fermento em pó

Cobertura
1 1/2 chávena de açúcar em pó
sumo de 2 clementinas (pequenas)


Preparação:

Bolo
Colocar as clementinas numa panela cobertas com água, levar a lume e deixar cozinhar durante cerca de 2 horas. Após este tempo, escorrer a água e deixar as clementinas arrefecerem. Cortar as clementinas ao meio, retirar as pevides e colocar  das clementinas num processador de alimentos (clementinas completas com casca).

Pré-aquecer o forno a 190 ºC e preparar uma forma redonda (usei uma de 20 diâmetro) untando com manteiga ou óleo e forrar com papel vegetal.

Numa batedeira, bater os ovos, adicionar o açúcar, as amêndoas moídas e o fermento, mexer bem. Adicionar o puré de clementina, mexer bem até incorporar completamente. 

Levar ao forno durante 40 a 60 minutos, fazer o teste do palito a partir dos 35 - 40 minutos, se começar a queimar na parte de cima, cobrir com uma folha de papel de alumínio. 

Retirar do forno e deixar arrefecer completamente na forma.

Cobertura
Peneirar o açúcar em pó para taça, adicionar-lhe duas colheres de sopa de sumo de clementina e mexer até obter uma pasta suave. Adicionar mais sumo, se necessário, até obter uma consistência suave.

Cobrir o bolo com esta cobertura e decorar com clementinas. 


Espero que gostem!♥

Seguir também em: Facebook | Pinterest Instagram Bloglovin

11/02/16

Seis anos de Leonardo [e um bolo com muito chocolate]

Seis anos.... Seis anos que passaram num ápice! Parece que foi ontem que éramos só dois e que sonhávamos com o bebé, como é que ele seria, com que se pareceria, etc... e agora já fez seis anos!

Escrevo com dois dias de atraso, porque como sempre, o tempo não estica e entre festas, Carnaval e regresso à rotina após mini-férias de Carnaval, passaram dois dias...

O que é que eu posso dizer sobre estes seis anos e sobre o Leonardo? O que é que eu posso dizer para que ele leia daqui a uns anos?

Posso dizer que ser mãe do Leonardo é melhor que qualquer coisa no mundo, é sentir um amor avassalador por ele desde que ele nasceu e que era tão pequeno e tão dependente, é sentir um amor inexplicável e imensamente profundo que até ao momento o conhecer não sabia que existia este tipo de amor! Posso dizer que tenho aprendido muito enquanto pessoa e tenho aprendido muito com o Leonardo. Posso dizer que ao mesmo tempo que me dá um enorme prazer vê-lo crescer, vê-lo aprender coisas novas, experiências novas, falar como um crescido, doí-me ver que o meu pequenino está a ficar grande e a ganhar asas. Mas é mesmo assim, eles crescem e nós assistimos, ensinamos, acompanhamos, apoiamos, choramos e rimos juntos. E é uma felicidade ver que ele se está a tornar um menino crescido! Quando olho para ele a falar com os amigos ou a falar comigo e com o pai sobre coisas que nos parecem tão "adultas", o meu coração transborda de felicidade.

Posso dizer ainda que o Leonardo é a alegria da nossa casa e da nossa família, é doce, meiguinho, muito sensível, muito atento, falador, sociável mas envergonhado e muito, mas muito querido. É um viajante do mundo, adora estar de férias, passear e ver sítios novos. Como todas as famílias temos os nossos dias menos bons, com birras, caras feias e algumas chatices. Que depois passam e acabam com beijinhos e abracinhos.

Queremos que o nosso Leonardo se torne um adulto fantástico (in filme "O Princepezinho"), porque uma criança fantástica já é!!

E agora vamos ao bolo porque daqui a pouco estou a chorar de emoção! Como não podia deixar de ser, sempre em todos os aniversários, o pedido é o mesmo, bolo de chocolate com chocolate! A receita é longa mas vale a pena ler até ao fim. (só postei uma foto porque com a pressa de irmos para a festa, as fotos não ficaram muito boas.... mas o bolo sim, ficou uma delicia, asseguro-vos!)


Bolo de chocolate com recheio de chocolate e curd de framboesa
(receita adaptada do livro "Lomelino’s Cakes, 27 Pretty Cakes to make any day special” da Linda Lomelino)

Ingredientes
160 gr de farinha
80 gr de chocolate (usei com 55% de cacau)
200 gr de açúcar
1 colher (de sobremesa) de fermento em pó
55 gr de manteiga sem sal
120 ml de buttermilk*
6 colheres (de sopa) de café
1 ovo
*Juntar umas gotas de limão ao leite e colocar em locar aquecido durante 10 a 15 minutos (eu coloquei junto do aquecedor)

Preparação
Pré-aquecer o forno a 180 ºC, preparar duas formas de 18 cm, untá-las com manteiga no fundo e nas laterais e colocar papel vegetal. 
Misturar a farinha com o fermento e o açúcar. 
Derreter o chocolate com a manteiga em banho-maria (usei uma taça sobre uma panela com água a ferver, sempre tendo o cuidado da água não tocar no fundo da taça para não queimar o chocolate). 
Retirar o chocolate do banho-maria quando estiver completamente derretido, juntar-lhe o buttermilk e o café. Mexer bem. Bater previamente o ovo numa taça e vertê-lo na mistura do chocolate, batendo sem parar para que o ovo não coza, caso a mistura ainda esteja quente. 
Envolver a mistura anterior com a mistura dos secos, mexendo até que esteja completamente envolvida e homogénea. 
Distribuir a massa pelas duas formas de forma igual e levar ao forno durante 30 a 35 minutos (fazer o teste do palito). 
Retirar do forno quando a massa estiver cozida, deixar arrefecer cerca de 10 minutos dentro das formas. Desenformar e deixar arrefecer completamente sobre uma grelha.

Notas
A receita apresentada é para ser confeccionada em duas formas de 18 cm. No caso do bolo de aniversário apresentado, a receita foi quadruplicada. A massa foi distribuída por 2 formas de 22 cm e 4 formas de 18 cm.

Recheio de creme de chocolate com mascarpone
(receita adaptada do blog "Migalha Doce")

Ingredientes
200 gr de chocolate (usei com 55% de cacau)
200 gr de natas
200 gr de queijo mascarpone
1 pitada de sal

Preparação
Começar por fazer uma ganache, partir o chocolate em pedaços, colocá-lo numa taça de tamanho médio, temperar com uma pitada de sal. Ferver as natas, retirar do lume e verter sobre o chocolate, mexer continuamente até que o chocolate esteja completamente derretido e envolvido nas natas. Colocar no frigorífico durante 3 horas ou fazer na véspera. 
Retirar a ganache do frio, colocá-la na taça da batedeira e começar a bater lentamente até que esta esteja suave, adicionar aos poucos o mascarpone, sem parar de bater. Bater em velocidade média até que o queijo esteja completamente incorporado e a mistura homogénea e bastante cremosa. 


Recheio de curd de framboesa
(receita adaptada do blog "Coco e Baunilha")

Ingredientes
125 gr de framboesas
1 ovo
75 gr de açúcar
30 ml de natas
70 gr de manteiga sem sal
5 gr de amido de milho (Maizena)
1/2 folha de gelatina incolor

Preparação
Começar por demolhar a gelatina em água fria. Num tacho, bater o ovo com o açúcar e o amido de milho até obter uma mistura homogénea. Juntar as framboesas e as natas à mistura anterior e levar ao lume, mexendo sempre até ferver e obter um creme ligeiramente espesso. Juntar a manteiga e mexer bem.
Retirar o creme do lume, espremer a gelatina e juntar de imediato ao creme quente, mexendo vigorosamente até que a gelatina se dissolva por completo. Colocar o creme no liquidificador ou passar com a varinha mágica de forma a obter um creme mais liso e sem grainhas. Deixar arrefecer e colocar no frigorífico até usar. (pode ser mantido no frigorífico até duas semanas).

Notas:
Dupliquei a receita, a quantidade foi suficiente para duas camadas de recheio deste bolo, mais uma camada de um bolo com 22 cm e sobrou cerca de metade (para mais bolos ou comer à colherada!).


Cobertura Buttercream de chocolate

Ingredientes
3 claras de ovo
1 cup de açúcar branco
225 gr de manteiga sem sal à temperatura ambiente
110 gr de chocolate (usei com 55% de cacau)

Preparação
Colocar as claras com o açúcar numa taça larga (usei directamente na taça da batedeira porque é de inox). Levar a lume, uma panela com um pouco de água, quando estiver a ferver, colocar a taça com a mistura das claras sobre a panela, tendo o cuidado da taça não tocar na água a ferver. Manter em lume médio, mexendo sempre a mistura das claras com uma vara de arames até que o açúcar se dissolva por completo.
Retirar a taça do lume e colocá-la de imediato na batedeira, bater com a vara pinha até obter um creme (merengue) brilhante e completamente arrefecido.
Entretanto, derreter o chocolate em banho-maria ou no micro-ondas. Reservar.
Adicionar a manteiga, pouco a pouco, sem deixar de bater, em velocidade média. Continuar a bater, aumentando gradualmente a velocidade da batedeira, até obter um creme bem liso. Pode acontecer a mistura parecer talhada, continuar a bater, até voltar a obter uma mistura homogénea.
Por fim, adicionar o chocolate derretido e ligeiramente arrefecido, continuando sempre a bater em velocidade média.

Notas
Para arrefecer mais rapidamente, cerca de 10/15 minutos antes de começar a fazer o buttercream, coloco um pano de cozinha húmido no congelador. Quando transfiro a mistura de claras e açúcar para a batedeira, coloco o pano em volta da taça.

O buttercream pode ser feito com algum tempo de antecedência, pode ser guardado no frigorífico dentro de uma caixa hermética até duas semanas. Quando for necessário usar, basta retirar do frio, cerca de 30 minutos antes de usar e voltar a bater na batedeira até que se obtenha um creme liso.

Esta quantidade deu para cobrir um bolo com 22 cm de diâmetro e o outro com 18 cm de diâmetro.


Cacos de chocolate
(receita adaptada do blog "Migalha Doce")

Ingredientes
160 gr de chocolate em pedaços

Preparação
Derreter o chocolate em banho-maria (colocar uma taça sobre uma panela com água a ferver, com o cuidado da taça não tocar na água). 
Preparar duas folhas de papel vegetal, do mesmo tamanho, cerca de 50cm x 40cm. Verter o chocolate sobre uma das folhas, espalhar com uma espátula, até formar uma camada com cerca de 3 a 5 mm. Cobrir com a outra folha de papel vegetal, enrolar e levar ao frigorífico durante 30 minutos. 
Retirar do frio, desenrolar, retirar a folha de cima e destacar os cacos de chocolate com cuidado. 


Montagem 

Retirar os topos dos bolos de forma a nivelá-los. Dividir cada bolo em duas partes iguais.
Colocar um pouco de buttercream num um saco de pasteleiro, com bico redondo, e colocar um fio de buttercream na extremidade da primeira camada. Este processo serve para que o recheio não se misture com o recheio, uma vez que estes são diferentes. Colocar uma colher bem cheia de recheio de chocolate, à altura do fio do buttercream, espalhar bem o recheio. Repetir o processo com o recheio de curd de framboesa e assim sucessivamente até terminar as camadas de bolo. Colocar umas estacas de palito de espetada para que este suporte o bolo de cima (cerca de 4 a 6).
Cobrir todo o bolo de baixo com buttercream, numa camada fina. Levar ao frio durante +/- 20 minutos.
Retirar do frio e espalhar nova camada de buttercream, alisando com uma espátula de metal até ficar com o acabamento pretendido.
Repetir o mesmo processo com o bolo de cima. Depois de concluída a cobertura, colocar o bolo mais pequeno sobre o bolo maior.
Colocar os cacos de chocolate em redor do bolo debaixo.
Decorar a gosto, neste caso, usei bolachas oreo trituradas para fazer de "terra" e animais brinquedo.


Espero que gostem!♥

Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin

17/01/16

Chocolate quente com um toque de canela


Bem, parece que chegou o frio! Eu não morro de amores pelo frio, por mim vivia sempre naquele clima ameno entre os 18 e 22 ºC. Contudo, gosto de usar os meus casacos quentinhos, os meus cachecóis e luvas, gosto das cores do céu e do sol de inverno, gosto das tardes preguiçosas no sofá em que nos aquecemos com uma bela manta, um bolinho acabado de fazer e um chá ou chocolate quente. Não gosto de chuva nem de vento, só gosto mesmo de vê-los ao longe pela janela com a tal caneca de chá ou chocolate fumegante nas mãos! 

Este fim-de-semana foi desses, em que o sol era radioso, mas o vento era mesmo frio. O sol convidava a passeios lá fora, mas o vento rapidamente nos fazia pensar duas vezes. Depois de um sábado luminoso e frio, o domingo amanheceu cinzento, com um sol envergonhado e com uma brisa muito mas muito fresca. Estavam reunidas as condições para um domingo por casa, de aquecedor ligado, manta quentinha e chocolate quente para aquecer e deliciar os gulosos! 

É difícil encontrar um chocolate quente que adore! Umas vezes é espesso mas pouco achocolatado, outras vezes é muito doce e outras vezes é demasiado liquido! Muitas já foram as receitas que testei e que nem sempre resultaram como gosto, mas acho que desta vez, este vai tornar-se "o chocolate quente" cá de casa! Mas, só dá para quem gosta mesmo de chocolate!! 
 

Ingredientes:

Chocolate quente
115 gr de chocolate negro (70% cacau)
30 gr de chocolate menos forte (usei com 40% de cacau)
1 colher de sopa de mel
1 colher de chá de canela em pó
200 ml de leite à temperatura ambiente

Topping de chantilly de cacau e flor de sal 
200 ml de natas (usei natas vegetais)
1 colher de chá de açúcar em pó
1 pitada de flor de sal
2 colheres de chá de cacau magro em pó


Preparação:
Se optar por tomar o chocolate quente com o topping de chantilly, comece por prepará-lo da seguinte forma: bater as natas com uma batedeira elétrica na potência média, quando começaram a formar picos, adicionar o açúcar em pó e continuar a bater. Quando já estiver com consistência de chantilly, juntar o cacau em pó e a flor de sal, bater durante mais um minuto (o suficiente para incorporar completamente). Reservar o chantilly no frio enquanto prepara o chocolate quente. 

Para o chocolate quente, colocar o chocolate partido em pedaços numa taça, sobre uma panela com água a ferver (ter o cuidado do fundo da taça não tocar na água a ferver), juntar o mel ao chocolate e mexer sempre enquanto este derrete. Quando o chocolate estiver quase completamente derretido, juntar o leite, continuar a mexer até estar completamente incorporado com o chocolate. Adicionar a canela em pó e continuar a mexer até levantar uma ligeira fervura. 

Retirar do lume, distribuir o chocolate pelas canecas e deixar repousar uns minutos. Quando o chocolate fumegar apenas ligeiramente e tiver um aspecto mais escuro e espesso do que quando deitado nas canecas (cerca de 10 minutos) estará nas condições perfeitas para ser tomado! 

Servir polvilhado com cacau em pó e acompanhado com um pau de canela para mexer ou para os mais gulosos, com o topping de chantilly de cacau!

 
Espero que gostem!♥
 
Seguir também em: Facebook | Pinterest | Instagram | Bloglovin
 

12/01/16

Convidei o blog [Coco e Baunilha]

Feliz ano novo para todos! Que este ano vos traga muitas coisas boas, muitas alegrias, saúde, bons momentos e muitas comidas boas!

O primeiro post do ano chega com a partilha de um blog delicioso, cheio de coisas doces e recheadinho de lindas fotos pelas mãos da talentosa Patrícia. Durante muito tempo segui o blog da Patrícia sem saber que éramos quase vizinhas, a Patrícia, tal como eu, vive no Algarve, aqui bem pertinho de Faro, mas por incrível que pareça ainda não nos conhecemos pessoalmente apesar de constantemente trocarmos mensagens nesse sentido, mas o tempo vai passando e ainda não conseguimos. A Patrícia decidiu trazer para o Cozinha Fresh uns crepes bem adequados ao pós festas, sem culpas nem remorsos! Mas antes, vamos conhecer um pouco melhor a autora do Coco e Baunilha!

BI do Blog: Coco e Baunilha, criado em 28/10/2009 por Patrícia Nascimento.
Como nasceu o “Coco e Baunilha"?
O blog nasceu quando comprei a Bimby em 2009. Costumava pesquisar receitas no Fórum Bimby e foi aí que descobri o mundo da blogosfera culinária. Começou tudo numa brincadeira, pensei em criar o meu próprio caderno de receitas. A partir daí o entusiasmo foi aumentando e surgiram novas paixões, que desde aí têm vindo a crescer nomeadamente o desenvolvimento de receitas, food styling e fotografia.
Quem é a Patrícia fora do blog?
Sou uma pessoa simples, reservada, mãe galinha, administrativa de profissão, apaixonada por pastelaria e por cake stands. Tento conciliar todas as actividades o que por vezes não é fácil dado que o blog requer imenso tempo. Nasci e vivi durante a infância em França e a pastelaria francesa é a minha grande inspiração. Fascina-me tudo o que esteja relacionado com food styling, utensílios de cozinha, antiguidades, fotografia, revistas e livros de culinária.
O que gostas mais de cozinhar?
Eu sou mais de doces e adoro cozinhar sobremesas. De tudo um pouco mas em especial bolos e macarons. Gosto de experimentar receitas novas, de meter as mãos na massa, de sentir os aromas que se espalham na cozinha, é como uma terapia para mim. Gosto muito de cozinhar também pasta e pizzas.
Alguma historia relacionada com a cozinha?
A minha paixão por doces tem a ver com a minha infância em França. Cada vez que ia à Boulangerie comprar o pão, ficava maravilhada a olhar para as montras recheadas de bolos lindos e deliciosos. Isso fica para sempre. Quando volto a Paris, a primeira coisa que quero fazer é correr as pastelarias e provar tudo novamente. Por vezes sonho que estou a saborear um bela fatia de flan nature, o meu favorito.
País ou viagem mais marcante [ou de sonho]?
Além da forte ligação com França, a viagem que mais me marcou foi a Itália, fiquei fascinada pela cidade de Roma, desde a gastronomia, a cidade, os monumentos, o romantismo, a língua... quero muito lá voltar. Viagens de sonho tenho duas, Maldivas e Tailândia.

Vamos à receita!

 
Crepes de espelta e leite de amêndoa (para 12 crepes)

Ingredientes
550g de leite de amêndoa
2 ovos
1 pitada de sal
1 colher (café) de extracto de baunilha
1 colher (sopa) de rum (opcional)
1 colher (sopa) de óleo de coco* (ou outro)
2 colher (sopa) de açúcar amarelo
250g de farinha de espelta bio (ou outra)

* O óleo de coco costuma estar sólido à temperatura ambiente por isso deverá colocar o recipiente uns minutos em banho-maria (num recipiente com água quente) até derreter.

Preparação:

Thermomix- Bimby: Colocar todos os ingredientes, excepto a farinha, no copo e misturar na 1min/Vel.3. Por fim juntar a farinha e misturar uns segundos na vel. 3/4, até ficar homogéneo. Deixar repousar 30 minutos.

Tradicional: Bater os ovos, juntar o leite de amêndoa, a baunilha, o sal e o rum e bater novamente. Por fim juntar a farinha e bater até obter um creme homogéneo.Deixar repousar 30 minutos.
Aquecer uma frigideira pequena anti-aderente (com Ø20) . Embeber um pouco de papel cozinha em azeite e passar na frigideira (repetir esta operação entre cada crepe). Verter uma porção de massa (meia colher de concha). Com uma espátula descolar as laterais e assim que estiver dourada virar do outro lado e deixar dourar. Continuar o processo até terminar a massa.


Pasta de avelã e cacau

Ingredientes:
200g de avelãs
3 colheres (sopa) de cacau
1 colher (sopa) de chocolate em pó
90g de xarope de ágave
4 colheres (sopa) de óleo de coco*
Leite de avelã (ou amêndoa) q.b.
1 pitada de sal

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 200°C. Dispor as avelãs num tabuleiro e levar ao forno cerca de 5 minutos. Retirar e deixar arrefecer. Colocar as avelãs num pano de cozinha e esfregar de forma a retirar a descolar a pele das mesmas. Colocar as avelãs num robot (ou Bimby) e triturar na velocidade máxima até ficar em farinha. Durante este processo, fazer pequenas pausas para não sobreaquecer a máquina e voltar a triturar. Continue a triturar até se formar uma pasta oleosa, nesta etapa o óleo irá começar a separar-se. Juntar os restantes ingredientes, excepto o leite, e triturar novamente até ficar homogéneo. Acrescentar leite de avelã ou amêndoa, uma colher de sopa de cada vez e triturar até obter a consistência de um creme macio. Conservar num frasco. 

Espero que tenham gostado tanto como eu de ter conhecido melhor a Patrícia e o seu Coco e Baunilha ♥ (eu vou experimentar estes crepes, de certeza!)